Você tem coragem? Veja os mistérios da focagem noturna no Pantanal

Viajar para o Pantanal é ter a oportunidade de conhecer um local maravilhoso, com uma paisagem incrível e uma grande biodiversidade.

São inúmeras as espécies de plantas e animais que se misturam ao longo dos mais de 230 mil quilômetros de planície. Por isso, é um dos lugares mais escolhidos para a prática da focagem noturna.

A atividade tem como objetivo principal a observação e o registro do comportamento de animais selvagens em seu habitat.

Ela pode ser feita em qualquer recinto natural, sendo necessários apenas alguns materiais específicos e, claro, um bom grupo para acompanhar. E mais: coragem de se aventurar na escuridão da noite no meio da floresta!

Os praticantes de focagem noturna no Pantanal têm a oportunidade de contemplar de perto espécies como a Onça-pintada, a Jaguatirica e o Lobo-guará, dentre outras centenas de animais que têm como sua morada a maior planície alagável no mundo.

Quer saber mais sobre o passeio? Então, acompanhe o nosso post de hoje!

Como é realizada uma focagem noturna?

O principal objetivo dessa modalidade de turismo é proporcionar, para os visitantes do Pantanal, a oportunidade de vivenciar a floresta à noite.

É possível sentir o clima, ouvir os barulhos dos bichos e cruzar com diferentes espécies durante o processo. Uma experiência incrível, que permite aos praticantes conhecerem a natureza brasileira como ela realmente é!

O passeio pode ser feito de carro e barco ou a pé. A forma de locomoção dependerá do local e dos animais que você deseja observar.

A maioria dos turistas opta por realizar a atividade em um carro aberto, geralmente com um grupo de 11 a 25 pessoas. No Pantanal, já existem hotéis que realizam essa atividade e que contam com profissionais capacitados e preparados para qualquer situação. Afinal, estamos falando de animais selvagens, então, todo cuidado é válido!

Com duração de aproximadamente duas horas e meia, podendo este tempo variar para mais ou menos, são percorridas as terras do Pantanal em busca de curiosidades e mistérios escondidos durante a noite.

Aos poucos, os animais se revelam, e o brilho dos seus olhos surge nas águas e em meio à vegetação local.

Através das luzes dos holofotes utilizados pelos instrutores, os bichos vão se apresentado para os visitantes  um momento inesquecível para quem tem a oportunidade de participar de uma aventura como essa!

Quais animais são encontrados durante o passeio?

Com uma área de aproximadamente 150 mil quilômetros quadrados, o Pantanal é uma região que possui vasta diversidade de fauna e flora.

Quem visita a região tem a oportunidade de ver de perto espécies incríveis de insetos, plantas e animais. E ainda tem a oportunidade de observar uma paisagem maravilhosa!

A região pantaneira possui clima e solo bastante peculiares, o que dificultou, ao longo dos anos, a ocupação do homem. Isso favoreceu para que a sua fauna abundante e diversa sobrevivesse, mesmo com todos os problemas de exploração.

Com relação às espécies, ao todo são cerca de:

  • 263 de peixes;

  • 41 de anfíbios;

  • 113 de répteis;

  • 463 de aves;

  • 132 de mamíferos.

No entanto, infelizmente, há muitos animais do Pantanal ameaçados de extinção, como é o caso da Onça-pintada, da Arara-azul e do Cervo-do-pantanal.

Apesar da conservação, a caça e a pesca ilegais são fatores que colaboram para devastação da fauna e flora da região. Diversos animais são alvos de caçadores que destinam os bichos para a confecção de roupas e sapatos, ou, até mesmo, para a produção de carne.

Em contrapartida, o turismo ecológico surge como uma tentativa de conscientizar as pessoas para esses e outros problemas enfrentados na região.

A esperança é que o contato com os animais e com a natureza local sensibilize as pessoas e crie um sentimento de responsabilidade. Assim, tem-se o objetivo de garantir a luta contra os que querem apenas destruir e matar um dos grandes patrimônios do Brasil aproximando o ser humano da natureza.

Quem opta por realizar esse passeio sempre carrega consigo a esperança de cruzar com algum dos animais raros no caminho. Afinal, é uma das poucas oportunidades de vê-los em seu próprio habitat, sem interferência nenhuma do homem e das suas cidades.

Dentre os diversos animais, alguns são mais fáceis de se encontrar no trajeto. Veja só:

  • Cervo-do-pantanal: atualmente, a espécie só é comum no Pantanal, sendo classificada, pelo Ibama, como vulnerável;

  • Jaguatirica: por ser um animal que tem como hábito caçar à noite, é muito comum encontrá-la durante as expedições;

  • Lobinho: outro animal que costuma sair para caçar durante a noite, o lobinho sempre anda em grupos. E quando um está sozinho, é identificado pelos “latidos” que usa para se comunicar com os outros;

  • Tamanduá-bandeira: também faz parte do grupo dos animais ameaçados de extinção. É grande e dócil, podendo pesar cerca de 40 kg;

  • Coruja-orelhuda: uma dentre as variadas espécies de corujas comuns na região, ela sempre costuma aparecer para dar um “oi” aos visitantes.

Qual a melhor época para a focagem noturna no Pantanal?

O clima da região pantaneira é definido em duas estações, a seca e a chuvosa, ambas com características bem extremas.

Durante a seca, a água, que parece ser tão abundante, dá lugar a uma superfície árida, restringindo-se aos leitos do rios. Já na época chuvosa, as inundações chegam a ocupar praticamente toda a área do Pantanal. Assim, a região transforma-se no característico pântano.

Somente as regiões mais elevadas conseguem escapar da águas dos rios, criando ilhas cobertas de vegetação, que servem de abrigo para várias espécies de animais.

Sabendo disso, a verdade é que visitar o Pantanal em qualquer época do ano é garantir um show de belezas. Entretanto, a época ideal para conseguir realizar atividades como a focagem noturna é durante a seca, entre os meses de abril e setembro.

Durante as cheias, a chuva e o território alagado acabam atrapalhando o passeio, já que dificultam a locomoção e também afastam os animais, que ficam mais escondidos durante o período.

Na estação seca, as águas que inundam a planície ficam restritas a determinadas regiões, o que facilita o deslocamento, seja de carro ou a pé.

Além disso, os animais costumam sair mais da “toca” em busca de lugares para matar a sede e o calor. Esse processo torna mais fácil de encontrar as maravilhosas espécies que escolheram a região do Pantanal como casa  o show que os visitantes esperam tanto por admirar. 

Na hora de planejar a viagem para a região, portanto, vale a pena conferir o clima para a época do ano. Assim, você terá sucesso em realizar a focagem noturna no Pantanal e muitas outras opções de ecoturismo presentes da região.

Essa é uma ótima oportunidade para conhecer melhor a biodiversidade brasileira na companhia de sua família e amigos. 

Gostou? Então, compartilhe nosso post nas suas redes sociais para que outras pessoas possam também conhecer mais belezas do Brasil passeando pelo Pantanal!

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.