Paris, Cidade Luz

Paris shutterstock_111103931

Às margens do Rio Sena, me vi entregue, tamanha a imensidão daquele Rio, era a minha admiração, ao fundo a imponência da Torre Eiffel me encantava. À tarde na Avenue des Champs-Elysées,  ao tomar uma xícara de chocolate quente, fazendo o que os parisienses mais gostam: “ver a vida passar”, indaguei sobre a beleza de Paris, sobre todas as versões de sê-la chamada de cidade luz e me convenci que uma vida só era pouco para conhecê-la.. Então me contentei em apenas contemplá-la.

 

Definitivamente Paris é uma das obras mais bonitas já feitas pelo homem. Tudo é muito bonito e grandioso A magia na cidade luz vai muito além da beleza da Torre Eiffel. Paris é charmosa, romântica, aventureira, gastronômica e misteriosa. Alguns visitantes constantes (porque Paris também é viciante),  costumam dizer que existe uma Paris para cada pessoa.  Ao pisar no solo parisiense os instintos mais secretos de cada um entram em alerta.

 

Quanto mais se conhece a capital francesa, mais nítida é a impressão de que ainda tem muito mais para ser descoberto. O peso histórico que Paris carrega faz com que visitantes do mundo inteiro se sintam em um cenário de filme, ou numa obra de arte. Como não lembrar dos quadros de Monet, da Monalisa que descansa no Louvre, do imperador Napoleão Bonaparte, da rainha Maria Antonieta, Joana D’Arc. É historicamente fascinante!

Paris shutterstock_101370463

O Rio Sena e suas pontes são cenários constantes em vários tipos de obras artísticas, como quadros, filmes, e clipes como o da cantora britânica Adele, que aparece caminhando na ponte  Alexandre III, a mais famosa e bela de todas. Ao todo, são 37 pontes sobre o Rio Sena.

 

Castelos, museus, pontes, pirâmides, jardins, cafés, monumentos históricos, lojas luxuosas, cruzeiros no Rio Sena, a Torre  Eiffel, fazem de Paris o destino mais desejado do mundo.

 

Vamos Explorar Paris:

 

Paris é muito, muito mais além do que se pode imaginar. Cartões postais como a Torre Eiffel  e o Arco do Triunfo disputam lado a lado com o Sena e as Pontes que interligam Paris inteira. São 37 pontes, vou citar algumas neste post, pois a intenção aqui é incitá-los a conhecer a cidade luz. Vamos  conhecer os principais pontos turísticos, onde você não pode deixar de visitar. E a comida, tudo que você tem que experimentar quando estiver em Paris, pode esquecer a dieta!

 

Ponte Alexandre III – A primeira coisa que chama atenção na Ponte Alexandre III é a extravagância da decoração: querubins, ninfas e cavalos dourados decoram a ponte, que foi construída em arco e tem duas grandes pilastras de cada lado do rio. A ponte Alexandre III é figurinha repetida nos filmes que se passam na cidade. Já apareceu em Meia-Noite em Paris, no desenho animado Anastasia e até num dos muitos 007.

Ponte da Concórdia – A Ponte da Concórdia, que liga a praça de mesmo nome ao outro lado do Sena, é um pouco mais antiga. Foi planejada em meados do século dezoito e inaugurada em 1791, com o nome de Ponte Luís 16 (alterado por motivos de revolução e decapitação do  rei Luís ). Em 1810, Napoleão ordenou que estátuas de oito importantes generais franceses fossem colocadas na ponte. Anos mais tarde a coleção de estátuas já era tão grande que o governo achou que a ponte poderia não suportar o peso, por isso resolveu transferir tudo para o Palácio de Versailles. Na década de 1930 a largura do ponte foi ampliada para aguentar o tráfego de automóveis.

Paris shutterstock_137270147

Ponte das Artes – Só para pedestres, essa é uma das pontes favoritas dos turistas. Tudo por causa da moda de colocar cadeados nas grades da ponte, simbolizando o amor de um casal. Depois que uma das grades da ponte desabou, a prefeitura de Paris removeu os cadeados e passou a coibir a prática. A Ponte liga o Louvre ao lado oposto do Sena e também não fica muito longe das duas últimas. Foi erguida no começo do século 18, durante o reinado de Napoleão, e foi a primeira ponte metálica de Paris. A original foi substituída na década de 70, após sofrer com a ação do tempo e com as bombas das duas grandes guerras mundiais.

 

Ponte Neuf – A Ponte Neuf liga as duas margens do Sena e passa pela Île de la Cité, o coração da Paris Medieval e onde está a famosa Catedral de Notre Dame. Por isso, costuma ser passagem obrigatória para todo mundo que visita Paris. Avistá-la, com a catedral ao fundo, é um dos pontos altos do passeio de barco pelo rio Sena.

 

 

Pont de l’Archevêché – Fica na região da Île de la Cité e  tem vistas espetaculares da Catedral de Notre Dame. Foi construída em 1828, em substituição de uma outra ponte que ficava por ali.  Essa ponte de pedra tem 68 metros de comprimento. Assim como a Ponte das Artes, a l’Archevêché foi tomada pela moda dos cadeados de amor.

Paris shutterstock_125043446

Catedral Notre Dame – A primeira dica dos principais pontos turísticos em Paris é a belíssima e histórica Catedral de Notre Dame, no Centro da capital francesa. Situada na Île de la Cité, Notre Dame recebe por ano mais de 10 milhões de turistas de todas as partes do mundo que, não importa o tempo, enfrentam grandes filas para conhecer seu interior e subir a uma de suas torres para ter o privilégio de admirar uma vista incrível de Paris e conhecer o local em que viveu o lendário Quasímodo na obra de Victor Hugo, o Corcunda de Notre Dame. Construída há mais de 700 anos, a Catedral de Notre Dame serviu de palco para grandes episódios da história da França como a coroação de Napoleão – um dos personagens mais famosos da História Ocidental.

Museu do Louvre – É o museu mais famoso e visitado do mundo. Inaugurado em 1793, o Museu do Louvre recebe em média 9 milhões de visitantes todos os anos que se impressionam com seu acervo com mais de 380 mil objetos. Localizado no centro de Paris, entre o rio Sena e a Rue de Rivoli, o Museu do Louvre é junto com a Catedral de Notre Dame o ponto turístico fechado que mais recebe turistas em Paris. Não deixe de visitar o acervo egípcio e, principalmente, as duas grandes obras que compõem o seu acervo: a MonaLisa de Leonardo da Vinci, e a Vênus de Milo. Outros artistas, também, possuem obras no Louvre como Ticiano, Rembrandt, Michelangelo, Goya e Rubens. Ao todo são mais de 8 mil anos de arte em exposição.

Paris shutterstock_112994110

Arco do Triunfo -. Construído a mando de Napoleão, em 1806, o Arco do Triunfo é um símbolo do império e um marco na história francesa. Em suas paredes estão gravados os nomes de centenas de militares que lutaram junto com Bonaparte. Além disso, aos pés do monumento está o túmulo do Soldado Desconhecido, desde 1920, em homenagem aos soldados mortos na Primeira Guerra Mundial. E claro, suba até o topo do Arco do Triunfo para ter uma vista fantástica de Paris, sua arquitetura e pontos turísticos que fazem, de lá de cima, Paris ser um quadro em movimento diante dos seus olhos.

Paris shutterstock_114479500

Torre Eiffel – A Torre Eiffel é um marco de como um monumento pode tornar-se um símbolo de uma nação. Não importa a época em que você está planejando ir à Paris, conhecer a Torre Eiffel é obrigação, para estar no seu álbum de lembranças de sua viagem à Europa.

 

Túmulo de Napoleão – Embora o “residente” mais famoso seja o antigo imperador da França, não é só Napoleão quem está enterrado no Inválidos. Além dele, também “estão lá” seu filho François Bonaparte (Napoleão II), José e Jerónimo Bonaparte, irmãos de Napoleão, e os generais do Império, Géraud Duroc e Henri Bertrand. Na verdade, “enterrados” não é bem a palavra, pois os túmulos estão dispostos em “salas” repletas de homenagens, com a cripta de Napoleão ao centro.

 

Avenue des Champs-Élysées – Frequentemente descrita como “a avenida mais bonita do mundo”, a Avenue des Champs-Élysées é um must-see de Paris. Turistas e parisienses podem ser vistos passeando a qualquer hora do dia ou da noite e em qualquer época do ano ao longo deste trecho icônico de dois quilômetros entre a Place de la Concorde e o Arco do Triunfo. Como a Torre Eiffel, a avenida é um símbolo de Paris. Está alinhada com restaurantes (L’Atelier Renault, Ledoyen etc.), boutiques de luxo (Louis Vuitton, Mont-Blanc, Guerlain, Ferrari etc.).

 

Palácio de Versalhes – O Palácio de Versalhes, também conhecido como castelo de Versalhes, foi onde morou Luís XIV e Maria Antonieta com sua família, até ser forçado a voltar para a capital. Ou seja, Versalhes era o centro do poder na França, o símbolo da monarquia que Luís XIV sustentou. Grande e luxuoso, o passeio por ele é incrível e único, indispensável para conhecer mais sobre a história da França através dos próprios olhos. Não deixe de ver, principalmente, os cômodos “apartamento do rei” e a galeria dos espelhos. Depois, conheça o jardim de Versalhes, considerados um dos mais bonitos do mundo por ser gigantesco e todo desenhado entre as várias espécies de flores e plantas.

versailles shutterstock_131223356

Moulin Rouge – É uma das casas de shows mais conhecidas mundialmente. Famoso por suas vedetes, desde que abriu suas portas em 6 de Outubro de 1889. Algumas das grandes estrelas da música francesa e internacional, como Edith Piaf, Liza Minnelli, Elton John e Frank Sinatra já se apresentaram nesse palco.

 

O que você não pode deixar de comer em Paris:

 

Croissants, croque monsieur (um tostex de presunto e queijo com molho bechamel em cima), baguette, eclairs (bomba), crème brulée, macarons, crepe de rua, entrecôte com fritas (fininhas e crocantes), steak tartare (carne crua temperada), mil feuilles (mil folhas de baunilha), soupe a l’oignon (sopa de cebola)…  ESQUEÇA SUA DIETA! hehehe

 

 

Acho super interessante você assistir alguns filmes, antes de conhecer Paris. Se inspire com essas dicas.

 

Paris, Te amo (2006) – O filme faz com que você observe a capital da França pelas lentes de diversos diretores. Paris, Te Amo é formado pela junção de 22 curta-metragens, onde cada um deles acontece em um distrito diferente da capital francesa. Cada trecho, de aproximadamente 5 minutos, conta uma história que se relacione com o tema amor.

 

Meia Noite em Paris (2011) – Mesmo sendo clichê, não dá para ignorar o fato de que o filme Meia Noite em Paris faz um belo de um tour pela cidade francesa. Se você fizer um roteiro de viagem baseado nas locações do filme, irá passar pela Torre Eiffel, o Rio Sena, a Champs Elysées, o Museu Rodin, Musée des Artes Forains, o Jardim de Monet e muitos outros.

 

Moulin Rouge (2001) – Um clássico que se passa no bairro boêmio Montmartre, em sua maioria dentro do cabaré Moulin Rouge. Só por curiosidade, a famosa peça Cancan apresentada no filme faz parte da programação real do Moulin Rouge até hoje.

 

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (2001) – Dirigido pelo diretor francês Jean-Pierre Jeunet, Amélie leva os espectadores em uma sútil busca pela felicidade e por um grande amor. Garçonete do Café Deux Moulins, no bairro de Montmartre, o cenário onde a maior parte do filme foi rodado se tornou um ponto turístico de Paris. Outros lugares por onde Amélie passa são a Rua Saint-Vicent, a rua mais charmosa do bairro, a igreja Sacre Couer, a igreja do Sagrado Coração de Paris, Carrossel da Place Saint-Pierre, um carrossel em uma praça, a cara do charme da cidade, e o Canal Saint Martin.

 

As Férias de Mr. Bean (2007) – Mais desajeitado do que nunca, Mr. Bean ganha uma rifa e vai tirar férias na França. Sem querer, acaba causando na cidade, sendo confundido com um sequestrador e indo parar até no Festival de Cannes. Quem assiste, pode acompanhar o protagonista na Gare de Lyon, no suntuoso restaurante Le Train Bleu, que também é cenário para outros filmes, e pelo Sul da França.

 

Busca Implacável (2008) – Quando a filha de um ex-agente é sequestrada em Paris, o que segue é uma perseguição intensa por bairros parisienses pouco frequentados por turistas. O personagem de Liam Neeson passa pelas ruas estreitas de Paris, pula por seus canais e visita bairros como Mairie de Clichy em busca de sua filha.

 

Código Da Vinci (2006) – Do bestseller de Dan Brown, o filme tem Tom Hanks desvendando segredos, a partir de um assassinato no Museu do Louvre. Um dos vilões mora na rue Becquerel, em Montmatre, região que já apareceu em muitos filmes.  Lugares como o Palais Royal e a Igreja de São Sulpício (a segunda maior de Paris) também fazendo parte dos cenários do filme.

 

Perfume – A História de um Assassino (2007) – É de conhecimento geral a tradição dos perfumes franceses. O filme descreve a vida de um francês, nascido na caótica Paris da primeira metade do século 18, que tem um olfato aguçado e se torna expert em fragrâncias. As gravações recriaram as feiras livres de Paris, as ruas sujas do portuário da cidade e as ricas perfumarias da capital. Depois migra para outras cidades francesas como Auvergne, Montpellier e Grasse para finalmente voltar e se encerrar em Paris.

 

Como foi mencionado no início do post, quanto mais se conhece Paris, mais fica nítida a impressão de que ainda tem muito a se descobrir. E tem mesmo! Procure uma agência especializada  e garanta que a sua viagem vai ser vivida da melhor maneira.

Paris shutterstock_118444354

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.